top of page

BRINQUEIDOSO - PROJETO DE BRINQUEDOTECA PARA IDOSOS EM INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA

CONTRIBUIÇÃO DE ALUNOS DO CURSO ONLINE - MARÇO 2021



Sabe-se que há no Brasil aproximadamente 20 milhões de pessoas com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos; que, em 2025, esse número chegará a 32 milhões, passando a ocupar o 6º lugar no mundo em número de idosos; e, em 2050, provavelmente, o número de pessoas idosas será maior ou igual ao de crianças e jovens de zero a 15 anos; fato marcante em todo o mundo. O impacto dessa nova "ordem demográfica" é imenso; o desafio é, portanto, considerável (Estatuto do Idoso, 2013).


A Organização Mundial de Saúde (OMS, 2015) afirmou que um país é considerado envelhecido quando 14% da sua população possui mais de 65 anos. Isso siginifica que o país está envelhecendo e os dados demonstram o aumento da expectativa de vida e a necessidade de uma adaptação a essa nova realidade (Tier, Fontana & Soares, 2004), o que implica investimentos no conhecimento sobre a velhice e na estrutura para prover cuidados e bem-estar.

Nesse contexto, políticas públicas da saúde e da assistência social instituem a Instituição de Longa Permanência para Idosos (ILPI), espaço institucional para atendimento integral às pessoas com 60 anos ou mais, dependentes ou independentes, que não dispõem de condições para permanecer com a família ou em domicílio unicelular (Born& Boechat). Ações de cuidado, saúde e socioeducativas são desenvolvidas na ILPI. Assim, incluir atividades voltadas ao lazer se torna de fundamental importância para os idosos.

O lazer entendido como os jogos, a brincadeira, a festa, o passeio, a viagem, o esporte e expressões artísticas permitem ao idoso ter uma vida saudável e viver essa fase de maneira mais ativa, participativa e integrada ao meio social, pois o brincar possibilita bem-estar, prazer, alegria, momentos de desenvolvimento, conhecimento e aprendizagem. Auxilia ainda a melhora da saúde e minimiza possíveis perdas das capacidades físicas, psicológicas e sociais presentes na vida do idoso (Foltran e Oliveira, 2020).

Nessa direção, sugere-se a Brinquedoteca BrinqueIdoso, um espaço criado para favorecer a brincadeira, possibilitando momentos de alegria e felicidade. O projeto tem como MISSÃO desenvolver e proporcionar atividades lúdicas em instituições de longa permanência e socializar os conhecimentos científicos sobre o papel da ludicidade na saúde física e mental, dos idosos, equipe técnica e cuidadores.

Como VISÃO, propõe ser reconhecida regional, nacional e internacionalmente pela qualidade do serviço prestado, na produção de conhecimento e em práticas sustentáveis, criativas e inovadoras integradas à sociedade e a busca de qualidade de vida. E como VALORES, defende o respeito à ética e à diversidade étnica, cultural, de gênero e de orientação sexual; a defesa dos direitos humanos; o ambiente social e sustentável; a universalização do conhecimento, o pluralismo de ideias e de pensamento e a garantia da acessibilidade ao espaço e as atividades planejadas.

O projeto foi pensado para o espaço de uma sala organizada com três ambientes distintos e com mobiliários de fácil locomoção/mobilidade que permitirá uma reorganização de acordo com a atividade proposta e inclui idosos acamados nas atividades lúdicas, devido a mobiliário circulante. Os três ambientes da sala são:

a) Espaço Jogos: entre outros, envolve a disponibilidade de uma variedade de brinquedos, selecionados previamente em função da condição dos brincantes, voltados ao fortalecimento da memória, sociabilidade, cooperação, habilidades cognitivas, motoras, afetiva etc;

b) Espaço de Leitura, Contos e Encantos: Essa atividade permite que eles vivenciem no conto as suas próprias experiências, promovendo aos idosos resgatar antigas lembranças, criando um sentimento de prazer e empatia, estimulando o cérebro e a memória, sendo um grande aliado no combate ao Alzheimer.

c) Espaço de Musicalização e Corporeidade: envolve, entre outras funções, a utilização de instrumentos musicais de cordas e percussão, havendo possibilidades de adaptação das ações de acordo com as especificidades de cada indivíduo. Em se tratando das atividades voltadas para o movimento (que podem incluir a música), o espaço permite movimentação livre, inclusive para aqueles que utilizam auxílio de objetos como cadeira de rodas e andadores.


Referências

BORN, T. & BOECHAT, N.S. A qualidade dos cuidados ao idoso institucionalizado. In: Freitas, E.V., Py, L., Cançado, F.A., & Gorzoni M.L. Tratado de geriatria e gerontologia. (4ª ed.). Rio de Janeiro (RJ): Guanabara Koogan, 1131-1141, 2017

FOLTRAN, E.P., OLIVEIRA, R.C.S. A presença do lúdico na vida do idoso. Faculdade Sant´Ana em Revista, Ponta Grossa, v.4, p. 30-51, sem 2020. Disponível em: https://www.iessa.edu.br/revista/index.php/fsr/article/view/1736 Acesso em10 de Março de 2021.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE. Resumo sobre o Relatório Mundial de Envelhecimento e Saúde [Internet]. Traduzido e organizado pela Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG). Geneva: OMS; 2015 [acesso em 16 jun. 2019]. Disponível em: http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/186463/1/9789240694811_eng.pdf?ua=14.

TIER, C. G., FONTANA, R. T. & SOARES, N. V. Refletindo sobre idosos institucionalizados. Rev Bras Enferm., Brasília (DF), maio/jun;57(3):332-5, 2004.


65 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Commentaires


bottom of page