Cantigas de roda, cirandas ou brincadeiras de roda são brincadeiras infantis, onde as crianças formam uma roda de mãos dadas e cantam melodias folclóricas, podendo executar ou não coreografias acerca da letra da música. É uma grande expressão folclórica.

As músicas infantis servem também para dar mais alegria as aulas, dinamizar o grupo e trabalhar os conteúdos.

Escolha abaixo uma cantiga ou uma música, cante e brinque com seus alunos.

Capelinha de Melão

Capelinha de Melão,

É de São João,

É de cravo,

É de rosa,

É de manjericão,

São João está dormindo,

Não acorda, não

Acordai, acordai,

Acordai, João!

O Sapo

O sapo não lava o pé,

Não lava porque não quer,

Ele mora lá na lagoa,

Não lava o pé,

Porque não quer,

Mas que cheirinho de chulé!

 

Chapéu de três pontas

O meu chapéu tem três pontas,

tem três pontas o meu chapéu.

Se não tivesse três pontas,

não seria o meu chapéu.

 

Ciranda, cirandinha

Ciranda, cirandinha

Vamos todos cirandar

Vamos dar a meia-volta

volta e meia vamos dar

O anel que tu me deste

era vidro e se quebrou

O amor que tu me tinhas

era pouco e se acabou

Por isso, D. Fulano

entre dentro dessa roda

diga um verso bem bonito

diga adeus e vá-se embora.

 

Peixinho do mar

Quem te ensinou a nadar?

Quem te ensinou a nadar?

Foi, foi, marinheiro,

Foi o peixinho do mar.

Foi, foi, marinheiro,

Foi o peixinho do mar.

 

Se esta rua…

Se esta rua,

Se esta rua fosse minha,

Eu mandava,

Eu mandava ladrilhar,

Com pedrinhas,

Com pedrinhas de diamantes,

Só pra ver, só pra ver

Meu bem passar.

 

Solfejando

Dó – um dia, uim lindo dia

Ré – reluz é ouro em pó

Mi – é assim que eu chamo a mim

Fá – é fácil decorar

Sol – o meu migo Sol

Lá – é bem longe daqui

Si – indica condição

Depois disso vem o dó…

Dó, Ré, Mi, Fá, Sol, Lá, Si.

 

Lanchinho

Que boa merendinha

Nós vamos já comer

A fome está chegando

Que bom vai nos fazer

Dó, ré, mi, fá, fá, fá

Dó, ré, do, ré, ré, ré

Dó, sol, fá, mi, mi, mi

Dó, ré, mi, fá, fá, fá.

Que fruta madurinha

Que pão gostosinho

Nós vamos ver quem trouxe

Guardanapo bem limpinho.

 

Sítio do Pica-Pau Amarelo

Marmelada de banana

Bananada de goiaba

Goiabada de marmelo

Sítio do Pica-Pau Amarelo

Boneca de pano é gente

Sabugo de milho é gente

O Sol nascente é tão belo

Sítio do Pica-Pau Amarelo

Rios de prata pirata

Vôo sideral na mata

Universo paralelo

Sítio do Pica-Pau Amarelo

No país da fantasia

Num estado de euforia

Cidade polichinelo

Sítio do Pica-Pau Amarelo

 

Tomatinho vermelho

Um tomatinho vermelho

Na estrada caiu

Um grande caminhão veio

e o tomatinho esmagou

Coitado do tomatinho

coitado do tomatinho

coitado do tomatinhuuuuuuuuuuuuuuuuuu!

Que ketchup virou!

Que ketchup virou!

 

Caveira

Quando o relógio bate a uma

Todas as caveiras saem da tumba (fazer gesto)

Tumba, lá lá tumba, Tumba lá

Tumba, lá lá tumba, Tumba lá

 

Quando o relógio bate as duas

Todas as caveiras pintam as unhas (fazer gesto)

Tumba, lá lá tumba, Tumba lá

Tumba, lá lá tumba, Tumba lá

 

Quando o relógio bate as três

Todas as caveiras jogam xadrez (fazer gesto)

Tumba, lá lá tumba, Tumba lá

Tumba, lá lá tumba, Tumba lá

 

Quando o relógio bate as quatro

Todas as caveiras tiram retrato (fazer gesto)

Tumba, lá lá tumba, Tumba lá

Tumba, lá lá tumba, Tumba lá

 

Quando o relógio bate as cinco

Todas as caveiras tocam sino (fazer gesto)

Tumba, lá lá tumba, Tumba lá

Tumba, lá lá tumba, Tumba lá

 

Quando o relógio bate as seis

Todas as caveiras imitam chinês (fazer gesto)

Tumba, lá lá tumba, Tumba lá

Tumba, lá lá tumba, Tumba lá

 

Quando o relógio bate as sete

Todas as caveiras imitam a gretchem (fazer gesto)

Tumba, lá lá tumba, Tumba lá

Tumba, lá lá tumba, Tumba lá

 

Quando o relógio bate as oito

Todas as caveiras fazem o oito (fazer gesto)

Tumba, lá lá tumba, Tumba lá

Tumba, lá lá tumba, Tumba lá

 

Quando o relógio bate as nove

Todas as caveiras dançam rock (fazer gesto)

Tumba, lá lá tumba, Tumba lá

Tumba, lá lá tumba, Tumba lá

 

Quando o relógio bate as dez

Todas as caveiras voltam pra tumba (fazer gesto)

Tumba, lá lá tumba, Tumba lá (bem devagar)

Tumba, lá lá tumba, Tumba lá

 

Cabral

(Ritmo: Samba Lelê)

Cabral chegado ao Brasil

Viu muitos homens aqui

Eram os índios valentes

Da grande tribo Tupi

 

Vestem tangas

Dormem nas choças

Comem milho

E a gostosa Mandioca

 

No sítio do seu Lobato

eu Lobato tinha um sítio, ia, ia, ô!

E nesse sítio tinha um cachorrinho, ia, ia, ô!

Era au, au, au, pra cá

Era au, au, au, pra lá

Era au,au,au pra todo lado ia, ia ô!

Seu Lobato tinha um sítio, ia, ia, ô!

E nesse sítio tinha um gato, ia, ia, ô!

Era miau, miau, miau, pra cá

Era miau, miau, miau, pra lá

Era miau,miau,miau pra todo lado ia, ia ô!

Seu Lobato tinha um sítio, ia, ia, ô!

E nesse sítio tinha um porco, ia, ia, ô!

Era rónc, rónc, rónc, pra cá

Era rónc, rónc, rónc, pra lá

Era rónc, rónc, rónc pra todo lado ia, ia ô!

E assim ir acrescentando animais com seus respectivos sons.

 

Joaninha

Joaninha é baixinha

Ha ra ra ra ra

Arrasta as asas pelo chão

Ha ra ra ra ra

Ela é meu bem

Ela é meu bem

 

Pai Francisco

Pai Francisco entrou na roda

Tocando o seu violão

Bi–rim-bão bão bão, Bi–rim-bão bão bão !

Vem de lá Seu Delegado

E Pai Franciso foi pra prisão.

Como ele vem todo requebrado

Parece um boneco desengonçado

 

Bambu tira bu

Bambu tira bu

Aroeira mantegueira

Tiraras (fulana(o))

Para ser bambu

 

Pintor de Jundiaí

um, tum, tum, quem bate aí?

Tum, tum, tum, quem bate aí?

Sou eu minha senhora o pintor de Jundiaí.

Pode entrar e se sentar, pode entrar e se sentar, durante a pintura nós iremos conversar, durante a pintura nós iremos conversar.

Na varanda quero frutas vermelhinhas na varanda quero frutas vermelhinhas só para alegrar o coração da mamãezinha só para alegrar o caração da mamaezinha.

Na cozinha quero um pé de bananeira na cozinha quero um pé de bananeira só para alegrar o coração da cozinheira só para alegrar o coração da cozinheira.

No portão quero um grande cachorrão, no portão quero um grande cachorrão só para espantar a cara feia do ladrão só para espantar a cara feia do ladrão.

Seu pintor o que eu queria seu pintor o que eu queria é que você pintasse um pouquinho de alegria, seu pintor o que eu queria é que você pintasse um pouquinho de alegria.

 

Sai piaba Sapo

Sai, sai, sai

Ó piaba

Saia da lagoa

Bota a mão na cabeça

Outra na cintura

Dá um remelexo no corpo

Dá uma umbigada

Na outra.

 

Cururu

Sapo Cururu

Na beira do rio

Quando o sapo grita

Ó! maninha

É porque tem frio

A mulher do sapo

Deve estar lá dentro

Fazendo rendinha

Ó! maninha

Pro seu casamento.

 

Pula pula, pipoquinha

Pula Pula pipoquinha

Que eu também

Quero pular!

Pula Pula pipoquinha

Pra crescer e estourar!

 

Havia um sapo

Versão para meninos

Havia um sapo po

Na beira do rio rio rio

De camisa verde de

A tremer de frio frio frio

Não era sapo po

Nem perereca ca

era o “nome do menino” só de cueca ca!!!

Versão para meninas

Na beira do rio rio rio

De camisa verde de

A tremer de frio frio frio

Não era sapo po

Nem perereca ca

era o “nome do menina” só lá na janela la!!!

 

Tindolelê

Ôi abre a roda tindolelê

Ôi abre a roda tindolalá

Ôi abre a roda tindolelê

Tindolelê tindolalá

 

Ôi bate palmas tindolelê

Ôi bate palmas tindolalá

Ôi bate palmas tindolelê

Tindolelê tindolalá

 

E dá um giro tindolelê

Torna a girar tindolalá

E dá um giro tindolelê

Tindolelê tindolalá

 

Dá um pulinho tindolelê

Outro pulinho tindolalá

Dá um pulinho tindolelê

Tindolelê tindolalá

 

E segue a roda tindolelê

E volta a roda tindolalá

E segue a roda tindolelê

Tindolelê tindolalá

 

E fecha a roda tindolelê

E abre a roda tindolalá

E fecha a roda

Tindolelê tindolalá

 

A gatinha parda

A minha gatinha parda, que em Janeiro me fugiu

Onde está minha gatinha,

Você sabe, você sabe, você viu ?

Eu não vi sua gatinha, mas ouvi o seu miau

Quem roubou sua gatinha

Foi a bruxa, foi a bruxa pica-pau.

 

Barata

Eu vi uma barata

Na careca do vovô

Assim que ela me viu

Bateu asas e voou.

 

Outra Versão:

Havia uma barata

Na careca do vovô

Vovô soltou um pum

e a barata desmaiou.

 

Pomba no laço

A pombinha voou, voou

Caiu no laço se embaraçou [bis]

Ai me dá um abraço

Que eu desembaraço

Essa pombinha [bis]

Que caiu no laço.

 

Seu Joaquim

Seu Joaquim quirim quim

De perna torta ta ta

Dançando a valsa sa sa

Com a maricota ta ta.

Eu bem que disse se se

Que não bulisse sei se

No violão dão dão

De dona Alice ce ce.

 

A loja do mestre André

Foi na loja do mestre André

Que eu comprei um pianinho

Plim,plim,plim

Um pianinho

Plim,plim,plim

Um pianinho

 

Foi na loja do mestre André

Que eu comprei uma guitarrinha

Plim,plim,plim

Uma guitarrinha

Plim,plim,plim

Uma guitarrinha

 

Ai,olé,ai olé foi na loja

Do mestre André

Ai,olé,ai olé foi na loja

Do mestre André

 

Foi na loja do mestre André

Que eu comprei um tamborzinho

Tum,tum,tum

Um tamborzinho

Tum,tum,tum

Um tamborzinho

 

Foi na loja do mestre André

Que eu comprei uma cornetinha

Tá,tá,tá

Uma cornetinha

Tá,tá,tá

Uma cornetinha

 

Ai,olé,ai olé foi na loja

Do mestre André

Ai,olé,ai olé foi na loja

Do mestre André

 

Periquito Maracanã

Periquito maracanã

Perdeu a sua Iaiá

Faz um ano, faz um dia.

Qu’eu não vejo ela voltar.

Aqui as crianças se aproximam, até ficarem bem juntas cantando:

 

Ora vai chegando,

Ora vai chegando,

Ora vai chegando,

Até chegar

 

Aqui se afastam, ampliando a roda:

 

Ora vai fastando,

Ora vai fastando,

Ora vai fastando,

Até fastar

 

Em seguida todas pulam na roda, depois de cantar o estribilho:

Periquito maracanã, etc…

 

Ora vai pulando,

Ora vai pulando,

Ora vai pulando,

Até parar.

 

Cantam o estribilho novamente e terminam com esta quadra:

Ora vai correndo,

Ora vai correndo,

Ora vai correndo,

Até parar

 

Pezinho

Ai bota aqui

Ai bota aqui, o seu pezinho

Seu pézinho bem juntinho com o meu (BIS)

E depois não va dizer

Que você se arrependeu ! (BIS)

 

123, Indiozinho

1,2,3 indiozinhos

4,5,6 indiozinhos

7,8,9 indiozinhos

10 no pequeno bote iam navegando pelo rio

abaixo quando o jacaré se aproximou

e o pequeno bote dos indiozinho quase virou,

mas não virou

 

Compartilhe conosco uma cantiga, clique aqui para entrar em contato com a ABBri.

arrow&v